quarta-feira, 29 de maio de 2013

... AS SURPRESAS DO INESPERADO....




Dizem que o melhor da festa é esperar por ela. Concordo. A festa em si raramente justifica nossa ansiedade. Você se corresponde por e-mail com um rapaz desconhecido. Trocam confidências e abusam um pouco do vocabulário libidinoso, até que um dia ele dá um basta nessa relação virtual e marca um encontro ao vivo com você. Segura coração. Você faz uma reserva para seu primeiro vôo para a Europa: desembarcará em Roma, lugar que sempre desejou conhecer. Lê tudo o que cai nas suas mãos sobre a Cidade Eterna e já consegue sentir o cheiro das ruelas que cercam a Piazza Spagna. Excitação. 

Você recebe em casa a correspondência que sempre sonhou: aceitaram seu nome para preencher o cargo de gerente de marketing de uma grande empresa. Mal vê a hora de começar. Você planeja um reveillon de arrebentar: vai para Copacabana jogar flores para Iemanjá, pular sete ondas e passar o resto da madrugada com uma garrafa de Veuve Cliquot nas mãos. Contagem regressiva. Pois bem. Você descobre que seu amigo internauta mede 1.55, tem mau-hálito e é casadíssimo. Ao chegar em Roma, seu deslumbramento terá que competir com a realidade: os pontos turísticos vivem lotados, as ruas não são tão limpas e o atendimento das lojas deixa a desejar. A gerência de marketing aumentou o seu salário, mas a carga horária também: você não tem hora para largar o serviço à noite e os sábados livres viraram raridade.

 E quanto ao reveillon, quem diria: três milhões de pessoas tiveram a mesma idéia que você. É claro que essa reversão de expectativa não precisa acontecer, e tudo pode ser ainda melhor do que o imaginado, mas é difícil. 

Em geral, ao aguardar ansiosamente um acontecimento, principalmente os que envolvem grande carga emocional, a tendência é nos depararmos com os dois lados da moeda, enquanto que nossa imaginação estava valorizando apenas um: o ideal. 

Ninguém vai deixar de sonhar por causa disso, mas não é má idéia reservar certa dose de humor para receber o inesperado. 



MARTHA MEDEIROS.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

... Você está sumido? Que anda fazendo? ...

"Você está sumido? Que anda fazendo?"

Perguntas obvias com respostas nem sempre sendo esperadas para longas explicações. É assim que se delimita hoje as conversas nas redes sociais. Eram amigos, dos mais próximos, cresceram e ai acabaram se afastando pela lei natural da vida, ai um dia do nada, algum puxa papo, cria coragem de conversar com quem sempre vê por "ali" mas sempre vai adiando o inicio do papo pra nao ser o primeiro a falar.

Tentando responder essas duas questões ai c pensa "oxi mas nem sumi, sempre estive aqui, tu que não me procurou, há não ser quando tu precisava." Já para a segunda a resposta é mais sintetica, pensamento de quem responde é de que "bah não vou falar muito porque nem conheço mais essa pessoa pra ja sair contando assim, e aposto que ele não quer saber de tudo o que ando fazendo"; então o pensamento que foi um, ganha uma resposta obvia "nada de bom, e tu?" ...

Nossa isso é tudo muito engraçado, limitações, orgulho, é o que restam pras relações de mentirinha que só são contadas como amizade a partir do momento em que um dos presentes na conversa necessita de alguma coisa ...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

... Os Filhos ..

Não ainda nao tive filhos e acho que bem provavel que nao terei pelo menos pros próximos 10 anos, complicado, mas assim como a vida sempre vai seguindo, acredito que depois de um certo tempo os próprios pais acabam ficando orfãos dos filhos afinal as crianças crescem, sem que se perceba, crescem de repente e quando os pais notam o filho já é grande, ja toma proprias decisões.



O tempo de jogar futebol e ir no balé, de ganhar carona dos pais, dos posteres na parede do quarto ja foi, no lugar pessoas cada vez mais cedo tentando querer tomar as rédeas de suas proprias vidas.

Nesse momentos pais tem de esperar para poder fazer tudo de novo para quando os seus filhos tenham filhos, e ai começa novo ciclo com os netos. Ciclo da vida...

segunda-feira, 13 de maio de 2013

... Porque eu trabalho? ...

Porque eu trabalho?

Tava pensando sobre isso, sim , fato, temos de pensar no que fazemos da vida, pra que estamos trabalhando afinal, coisas a curto e a médio prazo.
Eu diria que eu trabalho pelos dois, questão de objetivos, comprar minhas coisas, fato, esse é um deles, é tão bom você poder comprar as coisas sem ter de pedir dinheiro pra alguem, sem contar que tu da muito mais valor quando é tu que gastou por aquilo.
Trabalho pra poder fazer festa. Sim quem não gosta de um poquim de diversão na vida? to nisso também, trabalho pra ir nos shows, pra curtir uma balada as vezes, lógico não todo final de semana, mas alguns sempre bom.
Trabalho pra viagens, conhecer lugares, acho que a hora pra isso é agora, é aproveitar pra viajar enquanto o bolso der e a saúde permitir aproveitar o máximo de cada viagem, tenho varias programadas.

Logico a longo prazo, casa, carro e móveis todos, mas isso não agora e sim aos poucos.

Então eu trabalho não exatamente pra sobreviver, mas sim pra viver também. Afinal quem vive mais, e feliz dizem que vai durar mais na terra ne ;)