domingo, 27 de fevereiro de 2011

... Tv ... (por Moacyr Scliar)





ZAP. Não faz muito que temos esta nova TV com controle remoto, mas devo dizer que se trata agora de um instrumento sem o qual eu não saberia viver. Passo os dias sentado na velha poltrona, mudando de um canal para outro — uma tarefa que antes exigia certa movimentação, mas que agora ficou muito fácil. Estou num canal, não gosto — zap, mudo para outro. 

Não gosto de novo — zap, mudo de novo. Eu gostaria de ganhar em dólar num mês o número de vezes que você troca de canal em uma hora, diz minha mãe. Trata-se de uma pretensão fantasiosa, mas pelo menos indica disposição para o humor, admirável nessa mulher. Sofre, minha mãe. Sempre sofreu: infância carente, pai cruel etc. Mas o seu sofrimento aumentou muito quando meu pai a deixou. Já faz tempo; foi logo depois que nasci, e estou agora com treze anos. 

Uma idade em que se vê muita televisão, e em que se muda de canal constantemente, ainda que minha mãe ache isso um absurdo. Da tela, uma moça sorridente pergunta se o caro telespectador já conhece certo novo sabão em pó. Não conheço nem quero conhecer, de modo que — zap — mudo de canal. "Não me abandone, Mariana, não me abandone!" Abandono, sim. Não tenho o menor remorso, em se tratando de novelas: zap, e agora é um desenho, que eu já vi duzentas vezes, e — zap — um homem falando. Um homem, abraçado à guitarra elétrica, fala a uma entrevistadora. É um roqueiro. Aliás, é o que está dizendo, que é um roqueiro, que sempre foi e sempre será um roqueiro. 

Tal veemência se justifica, porque ele não parece um roqueiro. É meio velho, tem cabelos grisalhos, rugas, falta-lhe um dente. É o meu pai. É sobre mim que fala. Você tem um filho, não tem?, pergunta a apresentadora, e ele, meio constrangido — situação pouco admissível para um roqueiro de verdade —, diz que sim, que tem um filho, só que não o vê há muito tempo. Hesita um pouco e acrescenta: você sabe, eu tinha de fazer uma opção, era a família ou o rock. 

 A entrevistadora, porém, insiste (é chata, ela): mas o seu filho gosta de rock? Que você saiba, seu filho gosta de rock? Ele se mexe na cadeira; o microfone, preso à desbotada camisa, roça-lhe o peito, produzindo um desagradável e bem audível rascar. Sua angústia é compreensível; aí está, num programa local e de baixíssima audiência — e ainda tem de passar pelo vexame de uma pergunta que o embaraça e à qual não sabe responder. E então ele me olha. Vocês dirão que não, que é para a câmera que ele olha; aparentemente é isso, aparentemente ele está olhando para a câmera, como lhe disseram para fazer; mas na realidade é a mim que ele olha, sabe que em algum lugar, diante de uma tevê, estou a fitar seu rosto atormentado, as lágrimas me correndo pelo rosto; e no meu olhar ele procura a resposta à pergunta da apresentadora: você gosta de rock? Você gosta de mim? Você me perdoa? — mas aí comete um erro, um engano mortal: insensivelmente, automaticamente, seus dedos começam a dedilhar as cordas da guitarra, é o vício do velho roqueiro, do qual ele não pode se livrar nunca, nunca. 

Seu rosto se ilumina — refletores que se acendem? — e ele vai dizer que sim, que seu filho ama o rock tanto quanto ele, mas nesse momento zap — aciono o controle remoto e ele some. Em seu lugar, uma bela e sorridente jovem que está — à exceção do pequeno relógio que usa no pulso — nua, completamente nua.

Moacyr Scliar
------------------------------ 


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

... Reality shows matam a fome de verdade ...


Ah... é? Querem show de realidade, reality show? 
Pois aqui vai um artigo-realidade, com todas as suas dúvidas, informe rascunho, sujo texto, tudo que me passar pela cabeça enquanto escrevo. Será a verdade de minha mentira ou a mentira de minha verdade? Besteira, deixa de filosofias baratas... Deixa eu ver... Nelson Rodrigues dizia que a novela era importante para satisfazer nossa fome de mentiras.

O show de realidade é para satisfazer nossa fome de verdade. O Paulo Emílio, o grande crítico de cinema, dizia que vamos ao cinema como ao bordel - em busca de ilusão. É isso aí... só que a televisão não é no escurinho do cinema, que tem algo de secreto, de fuga, algo que ficou no fundo dos anos 30-40. Não; a TV é com luz acesa, a TV é uma vitrine na tua sala, com ofertas de sabonete e de amores. TV não vende ilusão; vende desejos e os desejos crescem. A ficção, no cinema e na TV, não está dando conta do horror da realidade, do real-espetacular de hoje. 

Que filme teve mais impacto que o reality show do Osama Bin Laden no dia 11 de setembro? Nunca a ficção foi tão real. As notícias e a ilusão se uniram em quatro aviões caindo do céu americano, porque, como sabemos, a TV é dividida em dois mundos: "The news is bad, the ads are good", como disse alguém. (Quem? McLuhan, Daniel Bell? "As notícias são más, os anúncios são bons" - (NB: 'news' é singular mesmo...) Naquele dia, o sonho explodiu. Naquele dia, descobrimos que a realidade não estava morta e que ela se movia com o timing ideal dos filmes... e tudo num curta-metragem de 20 minutos. Portanto, depois do 11 de setembro, como 'entreter', como fazer um desgraçado esquecer do mundo que estoura lá fora, que ilusão se pode ter, quando o horror não te deixa dormir no sonho e na mentira?

E não só os deliciosos horrores que te satisfazem o rancor, mas também que ilusão te aquecerá para você esquecer o que viu na TV, a maravilha que poderia ser tua vida, quando você é apenas um excluído, sem grana para pagar um reles tênis ou uma sórdida geladeira? (Misturo 'tu' com 'você', oh... gramáticos, como na vida real) Além disso, nos dias de hoje, você não se deixa mais enganar com musicais românticos, você não é mais amansado por Fred Astaire e Cid Charisse dançando no escuro, você está indócil, querendo existir. Aí, Hollywood saca isso e resolve te dar mais "entretenimento", aumenta a dose da droga, mais na veia, mais, e porradas a granel e efeitos especiais e mais sexo, sexo, sexo... 


Mas, não adianta muito, porque... até onde pode ir um filme pornográfico, até onde?Até o interior do corpo, até o intestino pelo olho do ânus, pelas vaginas a dentro para achar a alma? E você também não tem como comer aquelas gatas de seios siliconados, musas virtuais, e tuas punhetas se encerram num triste jato de nada na mão molhada. No meu delírio teórico, eu pensei: "Ahh... o reality show atende a um desejo do homem comum de ver a própria concepção, a 'cena primária', como dizem os psicanalistas, ver pelo buraco da fechadura, edipicamente, papai e mamãe transando na cama sagrada do drama burguês." 

Mas, não. É mais que isso, mermão. Isso apenas 'faz parte'. Você quer mesmo é invadir a TV como os assaltantes invadem uma casa. Você quer ver o que acontece no mundo dos que amam, dos que consomem, dos que existem. Você quer 'ver'; não sabe bem o quê ainda, mas quer ver o que te escondem, ver algo que te é negado. Você quer estar onde tem tudo: iogurte, carro do ano, Jade, cerveja com mulher boa, carros sport, luxo no shopping virtual da tela, você quer morar lá dentro como uma rosa púrpura do Cairo." Mas, aí, você bateu na tela de vidro e não entrou, na emissora o porteiro te barrou, e você viu que teu sonho era impossível. Foi então que as televisões do mundo perceberam tua desesperada vontade de existir e te disseram: "Você pode entrar se for selecionado e sair daqui com corpo e alma, com identidade, você pode nascer como o Bam Bam nasceu para a vida!" 

O reality show é o quebra-galho do sonho do socialismo que morreu, onde todos seríamos multidões cantantes. O reality show é democracia de massas cobrando ingresso. Mas, aí, nova surpresa. O SBT quis mostrar a verdade cotidiana de gente famosa, de personagens 'de ficção' da mídia. Enquanto isso, a Globo mostrou a aura que pode aflorar de anônimas e banalíssimas pessoas. E o ibope subiu ao avesso. 

Descobriu-se que você não quer ver famosos e gostosas, como a Tiazinha e a Feiticeira revelando aos poucos sua 'verdadeira' face ou mesmo sua verdadeira bunda. Você não quer ver a Tiazinha lavando roupa e a Feiticeira varrendo a casa. Não. Você quis ver os anônimos florindo e brilhando. Você quis ver uma beleza que vai aparecendo na convivência de gente boba como você, gente que chora sem motivo, gente que fala com boneco, gente que vomita. Mais do que ver 'sacanagem' ou 'cena primária', você descobre (e as TVs também) que quer ver o vazio, o nada do cotidiano, descobre que quer o alívio da informação e o vazio da verdade. A verdade é vazia, não-transcendental, a verdade está na pausa, no tédio, na falta de assunto, você quer o alívio do nada. 

O sucesso do Big Brother esteve na verdade que se infiltrou quando nada acontecia, entre os momentos em que mentirosamente eles fingiam sofrer ou amar. O sucesso se deveu ao nada, ao tempo morto. Ali, no irrelevante, arde uma verdade profunda, sem nome, sem efeitos. Naqueles instantes, nasce alguma coisa que se parece com tua vida. Você quer ver o que acontece quando nada acontece. Na verdade, você quer ver quem é você. Qual será tua próxima fome?

Arnaldo Jabour
----------

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

... Top 7 Filmes - Will Smith ...

Nha e tipo cansei de top 5 ou top 10, pq alguns atores ai tem mais de 5 filmes que são otimos assim como o Will q inicia isso aqui, e alguns outros naum chegam a 10 filmes bons, entao top 7 ... =D

Os 7 melhores filmes com Will Smith, na minha opinião é claro, e q de preferencia eu tenha visto, fato é q posso ter uma visão diferente dos filmes dele ne e tals mas o q vale é a minha e pronto, afinal blog meu ne .. =P .. uhasuhsauhsauhsa



--------------------

Will Smith pra mim é praticamente o cara assim, pois ator completissimo, ele é tipico q pode atuar em varios filmes de qualquer gênero q vai se sair bem, as expressões dele ajudam ele é o cara mesmo de mocinho, bandido, mau, bonzinh. Eita e pensar q tem 42 anos ja, ele pode fazer até papel de galã q eu assistiria so pra ver ele, ta bem o guri.


7º - Bad Boys (1995) - Will de policial, uhu q ele fica tri bem nesse papel, alem do filme ser muito bom.


6º - A Procura da Felicidade (2006) - Filme enroladinh, mas tri bom uai, atuando ao lado do filho da pra notar q tem aquele negocio de compatibilidade, e apesar de drama, tem historia.



5º - Hancock (2008) - Será q só eu ri assistindo esse filme, acho muito bom e engraçado apesar de Will estar como super-herói, mas tri bom.


4º - Sete Vidas (2008) - Confesso q nesse quase chorei, putz ele compensa as 7 vidas, atuação fodastica, filme drama e paradão mas vale a pena ver.


3º - Mib - Homens de preto (1997) - Classico o filme ne , pra mim o filme q mostrou Will pro mundo assim, atuação show de bola, em filme ne ja q em seriado foi muito antes.


2º - Eu Robô (2004) - Nha nem precisa falar ne, ele manda bem pra caramba nesse, e partes sem camisa é meninas da pra suspirar com o corpo do cara.. =D


1º - Eu sou a Lenda (2007) - putz o filme mais foda de todos, com a atuação intensa, eu julgo esse filme como um q no final da uma decepcionada afinal Will _ _ _ _ _ (não vou contar pq quem naum viu e ainda quer ver pode perder a graça) mas tipo so me revoltei por isso, mas filme muito bom, tadinh "unico" sobrevivente.
 

------

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

... Kuduro ...

Kuduro é o género musical com mais popularidade entre os jovens angolanos. O estilo musical é muito ouvido nos candongueiros e Revs.  Hoje, não há quem vá a uma festa angolana, onde o kuduro não faça parte da selecção musical. O Kuduro é um dos géneros musicais que vai ganhando espaço com o passar dos anos. A dança surgiu nos anos 90 e depois evoluiu para o género musical. As letras caracterizam-se pela mistura de linguagem, a gíria, línguas nacionais e a linguagem popular.

O sentido da expressão Kuduro poderá ser melhor explicado por um angolano, mas, ao que tudo indica, significa o que parece: Kuduro= Bunda imóvel, sem rebolar, o que, considerando-se que um dos movimentos fundamentais da dança angolana é o sofisticado rebolado (dos homens inclusive), é muito significativo. Algo como uma dança diferente , supostamente ‘moderna’, no âmbito das danças tradicionais que, como já disse são, extremamente, rebolativas. Contudo, dança livre que é, no Kuduro também se pode rebolar, é claro, basta querer.


O kuduro surgiu primeiro como um género de dança e com o passar do tempo evoluiu para um género musical. Vale aqui lembrar que este estilo de dança tornou-se popular devido as musicas de SEBEM, razão pela qual todos os kuduristas actuais são imagem e semelhança dele, também é o único neste estilo com discos de ouro.

Muito provavelmente o nome Ku-Duru vem também do kimbundo, ou ainda como o nome mesmo já supõe cú-duro, bunda-dura, até mesmo pelo próprio estilo da dança em que se tem o quadril duro. Como dança foi revolucionado por Paulucho e Shokarang,nao pelo Tony Amado como se costuma dizer,xtes dois bailarinos é que formaram muitos outros bailarinos que depois forma para a escola do tony Amado e Se Bem.


No Kuduro angolano os passos do mix, da fusão com o break, são o mais puro e carioca dos Sambas. Incrível! Alguns pesquisadores tentam explicar a estrutura da base rítmica, da batida (beat) do Kuduro por meio de teorias moderninhas ou simplificações que insistem em preconizar a importância, ao nosso ver, exagerada, das tecnologias na criação e na evolução destas danças e gêneros musicais. Os reis da parada seriam portanto os equipamentos eletrônicos.
  
Há controvérsias quanto a origem da palavra Kuduro, que pode ter vindo da língua kimbundu, nativa do nordeste da Angola, significando “localização”, ou do “cu duro” em português, mas não há dúvidas de que a dança é sensual. Enquanto se assiste aos dançarinos desse estilo musical angolano rebolando ao ritmo poderoso do batuque do Kuduro, pode-se ver que a versão em português faz sentido. Nascido nos subúrbios de Malange nos anos 90, o Kuduro recentemente se tornou o ritmo preferido por DJs europeus.


Nha fato é que tem um ritmo bacana que pra mim me lembra muito um reggaeton, ritmo meio caliente assim, sou fã realmente, gosto muito, so odeio o fato de que brasileiro pega a musica q vai achando q é dono do ritmo e da dança ai é foda...


Fontes diversas uai.. pesquisa intensa...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

... Reflexões sem dor ...


Quando uma aeromoça manda apertar o cinto, muito bem. Mas quando quem manda é o ministro da Fazenda? Pensar. Eis um verbo reflexivo. 

Um homem está definitivamente velho quando aponta para o próprio sexo e diz: "Isto é um símbolo fálico." Chato é o sujeito que não pode ver um saco vazio. Todo dia leio cuidadosamente os avisos fúnebres dos jornais; às vezes a gente tem surpresas agradabilíssimas. Nunca deixe para amanhã o que pode deixar hoje. 

Se a morte é fatal, por que será que todo mundo deixa o enterro pra última hora? Tem o cérebro de um verdadeiro computador: comete erros inacreditáveis! É preciso ter coragem. É preciso dar pseudônimo aos bois. Ah, se a gente pudesse empenhar as bodas de prata! Televisão — um veículo eletrônico com tração animal. 

Fofoca a gente tem que espalhar rápido porque pode ser mentira. Quando muita gente insiste muito tempo em que você está errado, você deve estar certo. Tempo é dinheiro. Contratempo é nota promissória. Eu só não sou o homem mais brilhante do mundo porque ninguém me pergunta as respostas que eu sei. Essa gente que fala o tempo todo contra a corrupção está apenas cuspindo no prato em que não comeu. De madrugada, o melhor amigo do homem é o cachorro-quente. 

O cara que gosta de arranjar encrenca cada vez tem que andar menos. O maior teste da dignidade é um trambolhão. Se eu não soubesse o valor do dinheiro não vivia botando ele fora. A ostra pode ser pai num ano e mãe no outro. Andrógino é isso aí.  O resto é bicha mesmo. Quem se mata de trabalhar merece mesmo morrer. Antes de entregar sua declaração de Imposto de Renda verifique bem se você omitiu tudo. Uma linda mulher de quarenta anos: cara e coroa.

 MILLÔR FERNANDES

----------------------

domingo, 13 de fevereiro de 2011

... Preconceito musical ...

 

Bah isso vai muito de gosto musical, ou vc gosta de ouvir ou tu naum gosta ne.. Mas embora cada um tenha seu estilo diferente, cada um gosta de um tipo de musica especifica, ou adere a um movimento musical..

Falam muito mal do funk, ou das musicas dos emos, dos coloridos, a turma do rock, os baianos do axé e por ai vai. Galera é fodona preconceito ao extremo principalmente com as modinhas q surgem a cada dia por ai, e ai sempre tem outra galera q acaba naum gostando. E as tribos tbm se confundem o tempo todo, sao de todos os tipos possiveis, é quase regra os pagodeiros naum gostarem dos roqueiros, os punks naum gostarem dos sertanejos e por ai vai, se algum q é de uma tribo literalmente naum pode cantar ou gostar de musicas alheias de outras tribos.

Tem musicas bestas, com letras horriveis mas com sons legais, ou com sons pessimos mas letras tri bunitinhas que da pra aturar. Eu literalmente sou ecletica demais, tipo se tu pegar e ouvir a miha playlist aqui no pc q são aquelas q eu escuto sempre ou quase sempre, vai ver q tem de todos os ritmos possiveis, eu de fato escuto por musica se é boa pra mim ou ruim, de minhas bandas favoritas ate bandas desconhecidas que so conheço uma ou duas musicas, mas gosto uai. Tem funk, axé, dance, eletronica, psy, sertanejo, pop, rock, pop rock, pagode, reggaeton, salsa, merengue ... vish enfim vai longe..

Independente de preconceito musical ou naum, as vezes vale muito a pena vc q so ouve um ritmo ou um estilo, escutar outras coisas, é sempre bom conhecer novas musicas, novos artistas seja eles qual forem, vale a pena mesmo, faça isso, de ouvir uma musica nova por dia, ja é um bom começo. =D


------------------------

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

... Beijo na boca ...


Uma vez a atriz e cineasta Carla Camuratti declarou, numa entrevista, que um bom beijo é melhor do que uma transa insossa. Quando a escutei dizendo isso, pensei: "então não sou só eu". Estou com Carla: o beijo é a parte mais importante da relação física entre duas pessoas, e se ele não funcionar, pode desistir do resto. 

A Editora Mandarim acaba de lançar um livro que reúne ensaios de diversos intelectuais a respeito do assunto. O nome do livro é O Beijo - Primeiras Lições de Amor, História, Arte e Erotismo. Os autores discutem o beijo materno, o beijo nos contos-de-fadas, o beijo traiçoeiro de Judas, os primeiros beijos impressos em cartazes, o beijo na propaganda, o mais longo beijo do cinema e todas as suas simbologias. Às vezes o livro fica prolixo demais, mas ainda assim é um assunto tentador. Procure-o nas melhores casas do ramo. O livro, porque beijo não está à venda. Todo mundo sonha com aquele beijo made in Hollywood, que tira o fôlego e dá início a um romance incandescente. Pena que nem sempre isso aconteça na vida real. 

O primeiro beijo entre um casal costuma ser suave, investigativo, decente. Aos pouquinhos, no entanto, acende-se a labareda e as bocas dizem a que vieram. Existe um prazo para isso acontecer: entre cinco minutos depois do primeiro roçar de lábios até, no máximo, cinco dias. Neste espaço de tempo, ainda compreende-se que os beijos sejam vacilantes: tratam-se de duas pessoas criando um vínculo e testando suas reações. Mas se a decência persistir, não espere ver estrelinhas na etapa seguinte. A química não aconteceu. 

Beijo é maravilhoso porque você interage com o corpo do outro sem deixar vestígios, é um mergulho no escuro, uma viagem sem volta. Beijo é uma maneira de compartilhar intimidades, de sentir o sabor de quem se gosta, de dizer mil coisas em silêncio. Beijo é gostoso porque não cansa, não engravida, não transmite o HIV. Beijo é prático porque não precisa tirar a roupa, não precisa sair da festa, não precisa ligar no dia seguinte. E sem essa de que beijo é insalubre porque troca-se até 9 miligramas de água, 0,7 grama de albumia, 0,18 de substâncias orgânicas, 0,711 miligrama de matérias gordurosas e 0,45 miligrama de sais, sem contar os vírus e as bactérias. 

Quem está preocupado com isso? 
Insalubre é não amar. 

Martha Medeiros
=================================

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

... Sul Americano sub-20 ...

BOm hoj teve jogo do Sul-americano sub-20 jogão Brasil x Argentina, realmente teve todos ingredientes de um classico, apesar de ser categoria sub-20 manteve as tradições e jogo semelhante ha um jogo tipico adulto entre as duas equipes...

Jogo em q qndo mal me preparei pra ver ja tinha acontecido muitas coisas, ate os 6 minutos de jogo Brasil perdeu Bruno muito bom zagueiro e capitão da sel. por contusao, entrando Saimon (gremista) em seu lugar, Juan outro zagueiro foi tri infantil num lance dentro da area e acabou cometendo penalti e ainda sendo expulso obrigando o tecnico a tirar Oscar jogador de meio campo pra recompor a zaga colocando Romario... Isso resultando em 1x0 pra Argentina no comecinh...




(Willian autor do gol do Brasil hoj e Fernando)


Mas mesmo com 1 a menos Brasil jogou tri bem, embora os jogadores tenham respondido a certas provocações.
JOgo de hoj serviu pra provar certas coisas:
- Que Neymar provou q realmente é cai cai, embora eu tenha falado no twitter q ele realmente esta acima da media dos jogadores desse sulamericano, e q possa desequilibrar partidas, ele insiste as vezes em desistir das jogadas em q poderia seguir em frente caindo tentando ganhar faltas, isso as vezes prejudica equipe
- Que Lucas inspirado é tao bom qnto Neymar, só que não tão fominha qnto ele, mas q tbm pode desequilibrar.
- Que Fernando foi uma otima aposta no lugar de Zé Eduardo, ele é mais decisivos nas jogadas, rouba mais bolas, tem lançamentos em sua grande maioria precisos e naum faz tanta falta como o Zé q começou como titular.
- Que Willian foi outra otima aposta no lugar de Henrique ou ate mesmo como prioridade no lugar de Diego Mauricio no ataque titular da equipe, faz uma otima função com o Neymar alem de fazer função de pivô muito bem.
- Que Casemiro pode sim e esta sendo um jogador surpresa no ataque e fazendo sua funçao de defesa muito bem, jogador de raça ele, joga muito.

Enfim, ha sim e placar final do jogo de hoj? 2x1 pra Argentina é naum deu naum, mas Brasil ainda vai se classificar ... =D

--------------------------------------

domingo, 6 de fevereiro de 2011

... Quando acaba ...


História que começou com uma brincadeira e foi se tornando cada vez mais real e intensa. Como no inicio o que fica e o que vale é a sinceridade, compreensão e agora mais do que nunca aceitação. Bons e ruim momentos, e de todos podemos aproveitar pelo menos um pouquinho, coisas só nossas ou pra falar direito "intimidades, brincadeiras só a gente entende". Bom fato é que mesmo depois de algum tempo, pouco tempo alias sem contato nenhum, sem saber se você está vivo ou não, sem saber se ainda pensa em certas coisas, a sensação de que tem algo pendente e inacabado insiste em permanecer vagando pela mente alheia ou nem tão alheia assim. Pensamentos, sentimentos e as lembranças que existiram ou que faltaram minimos detalhes para serem concretas e existir de fato foram poucos...

No pensamento só vc. A sua pessoa de varias formas em como tudo deveria acontecer, no que aconteceu. Uma lembrança que não pode existir, que talvez de fato naum deveria ter existido, afinal como nos deixamos levar e esse sentimento tomar conta da nõs tão rápido assim? bom isso não sei, só sei que durante muito tempo vc foi minha vida, vc foi meus sonhos, vc fez parte de td me fez feliz e me fazia bem, ate o momento em que a total esperança de que tudo ao teu lado mesmo que não tão do lado assim seria eterno acabou. As noites são pessimas, os dias não passam, as horas simplismente insistem em nos deixar com a sensação de que pararam, e nossa tudo era mais facil com você, por causa de você, mas agora não mais.


Sim, depois de tanto tempo, uma ação, uma atitude tomada e um fato novo vivido podem a diferença entre escolher ter você pra mim e nunca mais ter você na minha vida. Entre o tudo e o nada, nessas situações o nada representa e nos deixa mais "livres pra voar" como ja dizia Exaltasamba, pois o tudo mesmo sem ser exatamente levado ao pé da letra talvez nos faria sofrer, cada um de uma forma, nas suas complexidade. O que tinha tudo pra ser perfeito foi simplismente tomado por um sentimento de raiva, de ódio e de injustiça, o que acabou com grande parte da esperança e fez o sentimento que era tão lindo e imenso diminuir num piscar de olhos ao ser ofuscado por esses novos sentimentos.Enfim acabou, pelo menos na teoria, porque na prática é um sonho, uma vida e um sentimento que somente foram escondidos e adormecidos talves esperando o dia em que seja jogada uma faísca para incendiar tudo novamente.

Sonhos com sentimentos e promessas de uma eterna vida feliz que teve e chegou ao fim antes mesmo de começar, infelizmente a vida é simplismente dura então só devemos esperar que seja eternamente feliz com tuas escolhas...

(by: Estela E. Mühl)

------------------------------------

sábado, 5 de fevereiro de 2011

... Manual de Instruções do Corpo Humano ...


O que eu mais gosto, quando compro um carro zero, é ler o Manual de Instruções. É melhor que ler bula de remédios para a cabeça. No Manual está tudo explicado, claro, definitivo. Você fica sabendo como cuidar do seu carro para que ele viva vários e vários anos. 

Fico pensando que nós e o nosso corpo humano também deveríamos ter um Manual de Instruções, para a gente se cuidar. Algo parecido com os manuais dos carros. Por exemplo: assim como se ensina a trocar um pneu, o Manual de Instruções do Corpo Humano (o MICH) poderia muito bem ensinar a gente a trocar a própria perna, evitando, assim, ida a médicos e hospitais. Além das filas e economia de tempo e dinheiro. 

Antes de ensinar você a trocar a própria perna, alguns avisos: 
- Parabéns, você está de posse de um novo corpo. Desejamos que ele lhe traga todas as satisfações que imaginou, ao escolhê-lo. 
- O tempo que você irá dedicar à leitura deste manual será amplamente compensado pelos ensinamentos e as novidades técnicas que irá descobrir. 
- Se algum item não for suficientemente claro, os técnicos dos Distribuidores que formam nossa rede terão o prazer de lhe fornecer qualquer dado complementar que deseje obter. 
- Todas as instruções contidas neste manual são de vital importância para sua segurança e para garantir longa vida ao seu corpo. 

Segundo o MICH, a troca de uma perna seria assim: 
1 - O macaco e a chave de perna estão no interior do compartimento chamado de médio glúteo, na parte traseira do corpo. 
2 - O macaco está alojado por cima da bacia. Para extrair-lhe, afrouxar ligeiramente seu nervo de fixação e deslocar-lhe para cima; depois livrar-lhe do seu suporte inferior. Em alguns corpos o macaco está protegido com uma cobertura que é necessário retirá-la previamente. 
3 - A chave de perna está prendida acima da coxa esquerda. 
4 - A perna de reserva encontra-se na parter traseira inferior do corpo, dentro de um orifício. 
5 - Para ter acesso à mesma: 
6 - Afrouxar a porca 1 utilizando a chave de ossos; previamente desprender também as cartilagens. 
7 - Puxar horizontalmente e para trás do gancho de segurança 2 e baixar o suporte próximo à bunda. 
8 - Para reinstalá-la inverter as operações anteriores. 
9 - Para imobilizar as pernas, aplique o freio de estacionamento. 
10 - Para imobilizar os braços, coloque a alavanca de mudanças na primeira marcha. 
11 - Afrouxar ligeiramente os ossos do joelho: retirar previamente a pele com a mão ou com a chave de ossos; para isso, introduzir o extremo em um dos orifícios da periferia. 
12 - Para levantar o corpo, coloque o macaco horizontalmente e insira a aleta movel 1 da sua cabeça em quaisquer dos orifícios 2 situados na parte inferior do corpo (o mais próximo à perna que vai ser substituída). 
13 - Comece a girar o macaco com a mão até apoiar a sua base no solo (levemente debaixo do corpo). Sobre uma superfície suave, coloque entre esta e a base do macaco uma prancheta. 
14 - Introduzir a extremidade da chave de ossos na guia 3 do macaco e gire algumas voltas até separar a perna do solo. 
15 - Remova os ossos. 
16 - Retire a perna. 
17 - Instale a perna de reserva abaixo da bacia e gire-a até fazer coincidir os orificios de fixação do corpo com o osso da perna. Colocar de novo a pele. 
18 - Posicione bem os ossos e depois abaixe o macaco. 
19 - Com o corpo sobre o solo, ajuste definitivamente os ossos , levante a cabeça e tenha uma boa viagem!

Mario Prata
--------------------------